BrasilPolitica

Bolsonaro: ‘Passar fome no Brasil é uma grande mentira’

Presidente criticou

O presidente Jair Bolsonaro afirmou que a ideia de que pessoas passam fome no Brasil é uma mentira. Na manhã desta sexta-feira (19), em uma reunião com jornalistas, o presidente criticou o “discurso populista” em relação ao tema e disse que “não se vê gente, mesmo pobre, pelas ruas, com físico esquelético”.

“O Brasil é um país rico para praticamente qualquer plantio. Fora que passar fome no Brasil é uma grande mentira. Passa-se mal, não come bem, aí eu concordo. Agora, passar fome, não. Você não vê gente, mesmo pobre, pelas ruas, com físico esquelético, como a gente vê em alguns outros países pelo mundo”, argumentou o presidente.

Você não vê gente, mesmo pobre, pelas ruas, com físico esquelético, como a gente vê em alguns outros países pelo mundoJair Bolsonaro, presidente

A declaração do presidente se deu após ser questionado por uma jornalista sobre os planos do governo para a redução da miséria e da fome no País.

Para Bolsonaro, os governos anteriores criaram “um País de Bolsas”. Ele também defendeu que apenas o conhecimento é capaz de tirar o brasileiro da extrema pobreza.

“Esses políticos que criticam a questão da fome no Brasil, no meu entender, têm que se preocupar, estudar um pouco mais as consequências disso”, explicou.

Segundo o presidente, dizer que se passa fome no Brasil é “discurso populista, tentando ganhar simpatia popular, nada além disso”.

Na visão dele, caberia ao Executivo apenas “facilitar a vida de quem quer produzir, e não fazer esse discurso voltado para a massa da população”. 

“Se as autoridades, nós não atrapalharmos o nosso povo, essas franjas de miséria por si só acabam no Brasil porque o nosso solo no Brasil é muito rico para tudo o que você pode imaginar”, destacou.

Em 2018, Relatório do Panorama da Segurança Alimentar e Nutricional na América Latina e Caribe apontou para o aumento da fome no Brasil.

De acordo com o estudo, a desnutrição alcançou 5,2 milhões de brasileiros entre os anos de 2015 a 2017. 

Show More

Artigos Relacionados