BrasilNotícias

Incubadora de empresas fortalece 13 empreendimentos de Tupã

Programa oferece suporte aos micro e pequenos empresários da cidade. Saiba como participar. Incubadora de empresas fortalece 13 empreendimentos tupãenses
Prefeitura de Tupã/Divulgação
As microempresas possuem um incentivo a mais em Tupã. Atualmente, a Incubadora de Empresas de Tupã (IET), mantida pela prefeitura, colabora para o fortalecimento de 13 novos empreendimentos na cidade. Os empresários recebem toda estrutura necessária para consolidar seus negócios no mercado de trabalho.
Em 2020, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Comércio Exterior vai fortalecer as ações realizadas no programa, justamente para estimular cada vez mais o setor empresarial da cidade. De acordo com a Pasta, nos próximos dias será realizada uma reunião para elaborar um plano de fomento à modalidade exercida pelos empresários tupãenses.
Desde o início do governo de Caio Aoqui, houve um crescimento de 116% no número de empresas, já que em 2018 apenas 6 boxes estavam ocupados e atualmente 10 locais estão preenchidos. Até fevereiro deste ano 3 novos empreendimentos iniciarão seus planos de negócios com o programa.
O prefeito Caio Aoqui enfatizou que além de fomentar o desenvolvimento econômico do município, a Incubadora de Empresas emprega pelo menos 30 tupãenses nos empreendimentos. O chefe do Executivo também ressaltou que programas voltados para o crescimento deste setor são fundamentais para o avanço de Tupã.
“Esta é uma oportunidade de apoiar o faturamento e crescimento de empresas da nossa cidade. Em tempos de crise econômica, onde o desemprego atinge diversos locais do Brasil, incentivar às micro e pequenas empresas é uma medida essencial para ajudar a reverter este cenário”, disse.
Segundo o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e Comércio Exterior, Eduardo “Shigueru” Edamitsu, dois planos de negócio estão aguardando desocupação dos boxes. Além disso, já existe uma lista de espera com pessoas interessadas em participar do programa IET.
“A Incubadora de Empresas é voltada para o setor de industrialização e prestação de serviços. O empresário pode utilizar as dependências e os benefícios do programa por 2 anos, e dependendo das circunstâncias pode renovar por mais 1 ano”, destacou.
Shigueru explicou que o programa oferece suporte para que micro e pequenas empresas cresçam. Ele também destacou que os empresários contribuem com uma taxa de administração mensal de R$ 400,00, que é revertida em infraestrutura e material publicitário para a divulgação das empresas atendidas pelo programa.
“A Incubadora de Empresas desempenha um papel fundamental no município, pois auxilia as micro e pequenas empresas a crescerem e se consolidarem no mercado. Desta forma, o município passa a gerar mais empregos e renda, contribuindo significativamente para o avanço de Tupã em diversos segmentos, como saúde, educação e infraestrutura”, concluiu.
Infraestrutura
A incubadora conta com boxes de 120 metros quadrados (medindo 8 m x 15 m) e áreas de uso comum, como sala de reuniões e treinamentos, copa/cozinha, minibiblioteca, hall de entrada e estacionamento. A infraestrutura oferecida pelo programa inclui internet e monitoramento do sistema de alarme.
O empreendedor também recebe apoio na gerência técnica e administrativa, processo de implantação, operacionalização e acesso a informações de oportunidades de negócio, crédito, mercado, legislação, pesquisas e publicações. Além dos cursos de qualificação profissional, oferecidos gratuitamente pelo Sebrae.
Como participar
Os 13 boxes oferecidos estão ocupados e a Incubadora de Empresas já possui uma lista de espera. Porém os empresários interessados em participar do programa podem preencher a ficha cadastral e receber orientações para a elaboração de um Plano de Negócios na Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Comércio Exterior, localizada na avenida Tapuias, 907.
As propostas para incubação podem ser apresentadas tanto por pessoas físicas como jurídicas, e devem apresentar como objetivo o desenvolvimento de uma empresa já existente ou a ser criada.
Os Planos de Negócios serão analisados pelo Comitê Gestor, que poderá admitir empresas, mesmo condicionadas ao cumprimento de alguma exigência posterior. Após análise e aprovação, é assinado Pacto de Apoio para o Desenvolvimento Empresarial, Assessoria e Comodato (PADE), onde consta o período de permanência da empresa na Incubadora, assim como seus direitos e obrigações enquanto permanecer vinculado à IET.
Show More

Artigos Relacionados